O que acontece quando alguém te olha e sabe que você é motociclista?

Outro dia ouvi uma amiga dizendo que o que ela achava legal em mim é que só de olhar já sabia que eu era motociclista de verdade. Me senti lisonjeada pois nem tenho bagagem suficiente para tamanho elogio. Mas confesso que senti tanta segurança no que ela disse e em como eu recebi esse elogio e fiquei pensando na minha adolescência, aquele período da vida em que a gente quer ser igual aos outros do grupo.

Eu feliz na chuva, igual nos tempos de criança 😀

É uma sensação indescritível que me preenche completamente. Sentimento de companheirismo, de participação e de solidariedade deveriam nos acompanhar a vida toda.

Algo que para mim é mágico. Quem está em cima de uma moto e é realmente motociclista vive uma magia diferente. Não há estresse, não há incômodo. Só aventura e curtição. E mesmo os tropeços, os deslizes e dificuldades são motivos para muitas histórias depois.

Rolezinho por aí

Hora do happy hour

Amizades e eventos

Como é bom parar num semáforo e ver do seu lado uma mulher admirando sua postura. Ou uma criança te acenando ou mostrando para a mãe que tem uma mulher atrás daquele capacete.

Parece que somos heroínas. Longe de mim me achar superior, mas afinal, somos heroínas sim. A maioria das mulheres cuidam de sua vida profissional, cuidam dos filhos, da casa, dos estudos. Muitas lutam sozinhas. Muitas venceram grandes batalhas para estarem onde estão.

Nossa felina Rosa. Exemplo de mulher parceira, batalhadora e com um coração que nasceu para fazer o bem ao próximo.

A aspirante Rose, mulher guerreira, que nos ensina tanto sobre paciência, fé e perseverança.

Algumas descobriram a liberdade em cima de uma moto e isso transformou suas vidas. Cada relato, cada história de vida só concretiza o que venho buscando. Essa tal liberdade… elas são exemplo para mim.

Aspirante Silvinha, nossa heroína que venceu todos os medos e hoje é livre para sentir o vento na cara e conquistar todos os seus sonhos.

Aspirante Thaís mais um presente que recebemos no M.G. Seu jeitinho é apaixonante, de mulher firme, porreta e pronta para o que der e vier.

Aspirante Juliani, a nossa Jhu. Menina-moleque que tem energia de sobra para enfrentar qualquer desafio. Precisou, ela está pronta para ajudar.

Felina Fabiana, nossa Fabi. A caçulinha em idade mas que tem uma bagagem enorme de estrada. Corajosa, destemida e um exemplo de menina-mulher.

E como na música do Capital Inicial “Quatro vezes você”, a mulher motociclista é o que ela sonhar para si. Completa, decidida, determinada e corajosa. Admite seus erros, busca ser melhor, aprende e corre atrás. Ela é assim, transparente, sem máscaras, sem medo de ser o que é.

E você: o que faz quando ninguém te vê fazendo?

Nossas coroas 😀

Amizades sinceras

Celebrando a vida no acampamento

E não só no dia 08, Dia Internacional da Mulher, que iremos à luta. Vamos continuar lutando por tudo o que acreditamos. Para que não haja discriminação de nenhuma espécie, que possamos viver em irmandade nos nossos lares, no trabalho e em qualquer lugar. Que o espírito que nos envolve no motociclismo seja sempre a bandeira a levarmos para todos os momentos das nossas vidas.

Então o que você está esperando mulher? Venha para o meu mundo!

Boas estradas, sempre!