Assim como eu, acredito que muitas pilotos também sofrem com a pele da testa marcada pela textura interna do capacete. A situação se agrava quando estamos maquiadas ou simplesmente com o protetor solar, duas práticas que eu não abro mão jamais. E foi assim sem querer na minha rotina de cuidados com o rosto que na semana passada descobri uma maneira de pilotar e tirar o capacete com “dignidade”.

O salvador da pátria está há três anos na minha gaveta. Ele é um primer da Lorac – marca de cosméticos de Los Angeles – e simplesmente faz milagre, feitiço ou sei lá qual macumba. Desde que o comprei, somente o usava em ocasiões mais importantes quando é preciso um make com pele mais preparada e também para não acabar tão rápido (no Brasil, o produtinho é caro).

Daí que decidi usá-lo no dia a dia e foi assim que o dito cujo manifestou seus poderes. Além de bloquear a pele para a oleosidade – moro no Rio de Janeiro e tenho pele oleosa – o bloqueio simplesmente impede que o capacete deixe as marcas.

E olha que eu já tinha tentado diversas maneiras como usar um lenço na cabeça e só depois colocar o capacete. Mas depois de 30 minutos de pilotagem lá estava a testa marcada pelo lenço também.

Isso é descoberta para repostar para o mundo apesar deu não ter recebido R$0,50 da Lorac para falar sobre o produto…hahahaha. E boa pilotagem pra vocês!