Hoje vamos discutir a relação. Calma, a minha relação com as adoráveis leitoras do site ainda não está em crise. A relação que me refiro é o nome popular que damos ao conjunto: Corrente, Pinhão e Coroa, itens presentes na maior parcela das motocicletas produzidas no Brasil. Eles são responsáveis pela transmissão da força do motor às rodas.

Correntecoroapinha

Assim como outros componentes de nossa motocicleta, o conjunto corrente, pinhão e coroa, necessitam de manutenção, e se esta não for feita pode preparar a carteira e desmarcar o horário com a manicure e o cabeleireiro, porque um gasto razoável vai ocorrer.

Os cuidados básicos com a relação são: Limpeza e Lubrificação, Verificação da Folga da Corrente e Desgaste.

Lidar com a relação é um trabalho sujo, e não quero que minhas adoráveis leitoras sujem suas belas mãos, afinal, eu adoro as mãos macias e bem cuidadas de vocês, mas conhecer esse tema ajudará reconhecer o problema e a estender a vida útil desses componentes, e sabendo diagnosticar o problema vocês podem procurar um mecânico de confiança no tempo certo, ou seja, antes do prejuízo acontecer.

Agora se você gosta de uma graxinha, prazer eu sou o Vandão, vamos colocar a mão na massa juntos?

Utilize sempre produtos específicos para corrente ou óleo Sae 80 ou 90.

LIMPEZA E LUBRIFICAÇÃO: A lubrificação da corrente reduz seu atrito com a coroa e pinhão. A corrente necessita de lubrificação a cada 500 km, em média. No caso de trafegar por estradas de terra, areia, barro, areia de praia, com água ou até por períodos de chuva intensa, a lubrificação deve ser feita o mais rápido possível.  O indicado para a lubrificação da corrente é o óleo SAE 80 ou 90. Também existem produtos em spray específicos para lubrificação de correntes. O ideal antes de fazer a lubrificação é fazer a limpeza da corrente, o que pode ser feita com uma escova ou pincel e água e detergente. Em casos extremos de muita sujeira pode se utilizar querosene ou óleo diesel para limpeza.

O conjunto da relação, se bem cuidado, dura em média 10.000 km.

Como sei que uma corrente precisa de Limpeza e Lubrificação? Sempre que ela estiver seca, com sujeiras, fazendo ruído alto ou passar da quilometragem acima citada.

ATENÇÃO: Sempre faça esse procedimento com a motocicleta DESLIGADA. Risco de ferimento!!!

Cuidado com a folga é necessário para evitar desgaste prematuro.

VERIFICAÇÃO DA FOLGA DA CORRENTE E DESGASTE: O desgaste com o tempo causa folga na corrente, e isto é um grande perigo, ela pode se soltar da coroa ou pinhão com a motocicleta em movimento e se enroscar na roda fazendo-a travar e o resultado disso é um grave acidente. Outro dano que a corrente frouxa acarreta é o desgaste irregular dos componentes da relação fazendo com que a vida útil destes componentes seja reduzida. O procedimento de ajuste é feito soltando o eixo traseiro e afastando-o para trás esticando assim a corrente novamente. Para isso são necessárias ferramentas especificas, mas mesmo assim é um procedimento simples. Cada motocicleta possui um limite de folga próprio, portanto consulte o manual de sua motocicleta.  Uma das maneiras de verificar se a folga está correta é apertando, com o dedo, a corrente no sentido de baixo para cima, ela deve ceder cerca de 2,5 cm (veja na imagem acima).

Como sei que a corrente de minha motocicleta está com folga ou desgastada? Ruído de algo batendo, estalos e de chocalhos (como um guizo de cascavel). Visualmente você pode notar ela abaulada, deformada, com os elos tortos.

 

Veja exemplos de correntes, coroas e pinhões (relação) em bom e mau estado.

Exemplos de Correntes:

Corrente em bom estado, limpa, lubrificada e com os elos alinhados.

Corrente em bom estado, limpa, lubrificada e com os elos alinhados.

Corrente em mal estado, sem qualquer lubrificação, com folga e ferrugem.

Corrente em mal estado, sem qualquer lubrificação, com folga e ferrugem.

Corrente em péssimo estado: com sujeira impregnada, com folga excessiva, e com os elos todos desalinhados.

Corrente em péssimo estado: com sujeira impregnada, com folga excessiva e com os elos todos desalinhados.

Corrente em péssimo estado com sujeira impregnada, com os elos gastos e folgados.

Corrente em péssimo estado com sujeira impregnada, com os elos gastos e folgados.

Corrente em péssimo estado, com sujeira impregnada e elos quebrados.

Corrente em péssimo estado, com sujeira impregnada e elos quebrados.

 

 

Exemplos de Coroas:

Coroa nova, com os dentes perfeitos, sem marcas, sem desgaste e sem avarias.

Coroa nova, com os dentes perfeitos, sem marcas, sem desgaste e sem avarias.

A coroa de cima é uma coroa nova, com os dentes em perfeito estado, a de baixo uma coroa ruim, com desgaste nos dentes.

A coroa de cima é uma coroa nova, com os dentes em perfeito estado, a de baixo uma coroa ruim, com desgaste nos dentes.

Coroa em péssimo estado, com os dentes excessivamente gastos, com os dentes tortos.

Coroa em péssimo estado, com os dentes excessivamente gastos e com os dentes tortos.

Coroa em péssimo estado, com os dentes gastos, com dentes quebrados.

Coroa em péssimo estado, com os dentes gastos e com dentes quebrados.

 

Exemplos de pinhão: 

Para o pinhão serve o exemplo das coroas, já o que se muda seria basicamente o tamanho. Os danos são praticamente os mesmos. O único porem é que o pinhão geralmente tem uma capa protetora e sua visualização na maioria das motocicletas só é possível com a retirada desta capa.

 

Atras um pinhão novo. Com os dentes perfeitos, sem desgastes. Na frente um pinhão em péssimo estado com os dentes desgastados, tortos e enferrujados por falta de lubrificação.

Atrás um pinhão novo, com os dentes perfeitos e sem desgastes. Na frente um pinhão em péssimo estado, com os dentes desgastados, tortos e enferrujados por falta de lubrificação.

 

Ainda restaram dúvidas? Escreva pra gente. 🙂