Se viajar pelo Brasil é emocionante, imagine a aventura que é viajar de moto pela América do Sul. Percorrer as estradas dos países “hermanos” pode ser sim uma viagem prazerosa e segura, mas para isso você deve tomar alguns cuidados antes e durante a viagem.

Recebemos um e-mail da destemida Elidiane, que pretende viajar com sua moto pela América do Sul, em 2015, para Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela. Nossa querida leitora procurou o Mulheres de Moto pedindo dicas para tornar sua viagem mais segura.

Como nenhuma das meninas da redação fez esse tipo de viagem, fomos atrás de corajosas mulheres que viajaram de moto pela América do Sul, e também de especialistas, para reunir maior número de dicas e ajudar a Elidiane e todas as nossas leitoras.

Moto utilizada por Gabriela em sua viagem até a Argentina

Moto utilizada por Gabriela em sua viagem até a Argentina

A motociclista Gabriela, do ABC-SP, viajou sozinha em sua HD 883 Iron até Córdoba, na Argentina, em 2014.

“A viagem para a Argentina começou a ser planejada no início de Outubro, onde iniciei uma pesquisa na internet e também com motociclistas, para colher informações e ouvir experiências. Decidi pela rota com entrada pela fronteira de Uruguaiana. Então, fiz SP – Curitiba; Curitiba – Erechim; Erechim – Uruguaiana; Uruguaiana – Paraná (Província de Santa Fé) e; Paraná – Córdoba”, conta a corajosa motociclista.

Para os países do Mercosul é necessário portar a Carta Verde. Gabriela solicitou a sua na seguradora com 1 semana de antecedência e pagou R$ 185,34. “Muitos me orientaram a tirar na cidade de divisa, porque é muito mais barato, porém, preferi sair de casa com tudo em cima”, explica Gabriela.

Gabriela durante sua viagem pela América do Sul

Gabriela durante sua viagem pela América do Sul

Se viajar sozinha pode representar um grande desafio e crescimento pessoal, por outro lado viajar acompanhada pode tornar a viagem muito mais segura e divertida. A motociclista Carolinne Ramos, viajou com seu namorado, em uma Ténéré 250cc, até a Argentina.

Carolinne, que partiu de São Paulo pela SP 275 com destino a Foz do Iguaçu, tinha duas opções de estrada: a BR 270 e a BR 369. Teoricamente a BR 369 é melhor porque, embora você ande alguns quilômetros a mais, você trafega em pista dupla. “A BR 369 é melhor, na minha opinião (e na maioria dos motociclistas que fazem ou fizeram essa rota), porque o caminho, via Cornélio Procópio, é cheio de belas curvas, ótimo asfalto e visual deslumbrante das matas e plantações paranaenses”, ressalta a motociclista.

Carolinne e seu namorado na fronteira Brasil-Argentina

Carolinne e seu namorado na fronteira Brasil-Argentina

Além de preparar o roteiro, a documentação e a moto, a bagagem merece uma atenção especial, principalmente se você vai viajar com alforges.

Carolinne e seu namorado tiveram contratempos com a bagagem: “Um dos problemas que tivemos foi com a capa de proteção dos alforges, justamente porque na época em que viajamos estava chovendo muito. Ao chegar em Campo Mourão abrimos os alforges para conferir e todas as roupas estavam molhadas, rsrs, por isso se você pretende viajar com bastante bagagem invista em capas de qualidade para seus alforges”, orienta a motociclista.

Uma boa dica para quem não tem tempo de preparar sua viagem ou está insegura em viajar sozinha é adquirir os serviços de Assessoria de Viagem. Além de organizar todos os detalhes e dar muitas dicas, também é possível contratar um “acompanhante de viagem”. A vantagem de viajar com um profissional é que no caso de acontecer um imprevisto ele saberá como proceder.

O consultor de viagens Márton Pederneiras, da Triumph Riding Experience, possui anos de experiência em viagens internacionais de moto e orienta: “Se possível não viaje sozinho. Viajar em grupos grandes também aumenta o perigo. É essencial que todos estejam a par dos roteiros e destinos e que compartilhem os contatos. Uma boa técnica é marcar pontos de encontro pois cada um anda na sua velocidade e olha menos no retrovisor.”

Veja a seguir as dicas preparadas pela equipe do Mulheres de Moto, em parceria com Márton Pereneiras, para ter uma viagem de moto mais segura.

PRÉ-VIAGEM

Planejando a Viagem: A etapa pré-viagem costuma ser a mais difícil. Escolher roteiro, datas, hotéis, separar documentos, equipamentos, cuidados com a moto, dentre outros. Qualquer negligência nesta fase pode comprometer sua viagem.

Veja algumas dicas que separamos para facilitar a fase do planejamento:

#1- Faça viagens curtas e teste a moto e todos os equipamentos que serão utilizados. Assim, você descobre o que falta e o que não funciona, e tem tempo para se preparar.

#2- Evite viajar em feriados e dias com mais movimento.

#3- Reserve pelo menos os hotéis das cidades mais turísticas e dos dias comemorativos (como Natal e Ano Novo).

#4- Em viagens muito longas programe pelo menos um dia parado para cada dois rodando. Além de curtir mais o passeio, caso haja algum imprevisto haverá tempo de manobra.

#5- Programe sua viagem para sair bem cedo e tentar fazer 60% do roteiro do dia até o meio-dia.

#6- Sempre saber onde vai ficar (para evitar ter que procurar um lugar, cansado e de noite, e correr o risco de não encontrar).

#7- Deixar alguém avisado do roteiro e com os telefones de contato.

#8- Evite improvisações na moto (coisas amarradas, etc.).

O que levar/Documentos:

#9- Documentos básicos: a) RG (habilitação não vale como documento de identidade no Mercosul); b) Habilitação; e c) Documento da moto em seu nome (caso não esteja deverá solicitar autorização pela embaixada).

#10- Em viagens pela América do Sul é necessário portar a Carta Verde. Solicitar com antecedência às seguradoras.

#11- Levar apenas CNH ou também a Permissão Internacional para Dirigir (PID)? No acordo entre os países do Mercosul exige-se a PID. No entanto, muitos motociclistas que viajam para a Argentina não possuem. O correto seria ter para evitar problemas, mas vai de cada um. A motociclista Gabriela não quis arriscar e tirou a PID, no entanto o documento não lhe foi solicitado pelas autoridades Argentinas. A PID custa R$221,54, tem a mesma validade da sua habilitação e é válido em mais de 100 países.

#12- Assistência saúde: Se seu plano de saúde cobre viagens internacionais, solicite a carta com antecedência. Porém caso você não tenha plano de saúde ou ele não cubra viagens internacionais, pense na possibilidade de contratar um. Muitas pessoas fazem pouco caso para seguros, pois é um dinheiro que se paga para não usar. Mas como a gente não sabe o dia de amanhã e viajar de moto tem seus riscos, é aconselhável tem um seguro saúde. “Se a viagem for em Dezembro é melhor entrar em contato antes, pois algumas empresas entram em recesso de fim de ano”, orienta Gabriela.

#13- Seguro da moto: Pense na possibilidade de contratar um seguro para sua moto.

O que levar/Itens Importantes

#14- Leve sempre dinheiro local – comércio de vilas e cidades pequenas podem não aceitar cartões, dólar ou real.

#15- Mapa (seu guia 4 rodas é um dos melhores). O GPS é ótimo, mas quando ele se perde, um mapa (atualizado) é imprescindível! Além disso, segundo o consultor em viagens Márton Pederneiras, planejar seu roteiro pelo mapa aumenta a sua experiência de viagem.

#16- Kit Primeiros Socorros (e saber como usar cada item do kit… rs).

#17- Levar medicamentos básicos (dor de cabeça, anti ácido, band-aids).

#18- Tenha telefones de Emergência das Estradas, Hotéis etc.

#19- Leve água. Pode ser em garrafa ou na mochila térmica com reservatório de água, caso você possua.

#20- Leve uma lanterna pequena (com pilhas extras).

#21- Tenha junto com você uma barras de Cereal ou outro tipo de doce como chocolate ou bananinha.

#22- Leve um canivete suíço.

#23- Mesmo que não fume pense em levar um isqueiro.

#24- Não esqueça o carregador do seu celular, GPS e dos outros gadgets.

#25- Leve itens básicos de higiene, como lenços umedecidos.

O que levar/Vestuário do piloto

Verifique o que é realmente necessário em termos de vestuário, acessórios, make, etc. Lembre-se que sua moto tem limite de bagagem, bem como de peso. Aliás, quanto mais leve a moto estiver melhor. Uma boa dica é distribuir o peso na moto (sempre próximo ao banco do piloto).

#26- Evite bagagem extra (leve pouca roupa, lave durante a viagem, compre no caminho).

#27- Jaqueta com proteção.

#28- Calça com proteção ou proteções externas.

#29- Leve botas apropriadas para motociclismo.

#30- 2 pares de Luva (um deles impermeável).

#31- Capa de Chuva.

#32- Balaclava

#33- Óculos

#34- Quando se viaja no eixo norte-sul e a altitude muda esteja preparado para as diversas alterações que ocorrem no clima. “Uma boa maneira para enfrentar vários climas com o mínimo de equipamento é a técnica da cebola: segunda pele para manter a temperatura, fleece para esquentar, jaqueta para proteger e anorak ou capa de chuva para cortar o vento”, orienta o consultor de viagens Márton.

Cuidados com a moto

#35- Faça as revisões básicas e necessárias na moto, como freio, óleo, pneus etc.

#36- Vacina para pneu (imprescindível em viagens mais longas e nas quais você não conhece bem as estradas, porque vai saber se um pneu fura, não é?).

#37- Kit Ferramentas da Moto.

#38- Se você não está familiarizada 100% com a moto, leve o manual.

DURANTE A SUA VIAGEM PELA AMÉRICA DO SUL

Após todo o planejamento finalmente chegou o momento tão aguardado. Supere o friozinho na barriga, suba na moto e encare o desafio.

Veja as dicas para ter uma viagem mais segura:

#39- Não viajar à noite.

#40- Levar dinheiro do pedágio (em lugar prático) e cuidado com piso no pedágio.

#41- Após plotar o destino no GPS cheque sempre o roteiro sugerido.

#42- Conferir a previsão do tempo é sempre interessante para poder se prevenir com a capa de chuva, proteção para os alforjes e demais precauções.

#43- Cheque pela Internet se estão acontecendo manifestações nos roteiros planejados. Estradas fechadas no Peru, revoltas por falta de gasolina na Colômbia e panelaços na Argentina são muito comuns.

#44– Pedir informações atualizadas sobre as estradas (mas tomar cuidado com as pessoas que informam, pode ser uma emboscada).

#45- Pesquisar possíveis lugares ou cidades para ficar caso haja algum imprevisto e não chegue ao destino.

#46- Verificar se os pneus aguentam a viagem toda e calibre os pneus no mínimo 1 vez ao dia.

#47- Agendar troca de pneus, óleo e revisão durante a viagem (se necessário).

#48- Checar a moto em toda parada (olhar alforjes, pneus, óleo etc.).

#49- Abastecer em postos com bandeiras conhecidas.

#50- Quando parar para comer pelo caminho dê preferência para alimentos mais leves e saudáveis para evitar surpresas durante o percurso, afinal de contas você quer aproveitar ao máximo a sua viagem. Porém, não coma muito nas paradas pois isto dá sono.

#51- Ao sentir sono pare no próximo posto ou mirante (mudar a rotina desperta).

#52- Sempre que parar para abastecer ou comer faça um alongamento para evitar dores no corpo.

#53- Procure conversar com pessoas que estão em família. Se você for mulher e sozinha, é mais seguro. Poste em redes sociais cada chegada para que as pessoas monitorem se você está bem.

#54- Despache pelo correio o que adquirir, para não lotar a moto.

#55- Em dias onde aduanas serão cruzadas esteja preparado para possíveis atrasos, as vezes horas.

Dicas Chile e Argentina

#56- Para fazer um amigo no Chile a maneira mais fácil é falar mal de um argentino. Funciona na Argentina também!

#57- Uma cidade no mapa da Patagônia não significa abastecimento. Algumas regiões sofrem com a falta de gasolina e em alguns lugares as cidades ficam a mais de 200 km de distância. Informe-se e, caso necessário, leve gasolina extra em galões.

#58- Polícias do norte da Argentina tradicionalmente são corruptas. Por isso ande com os documentos em ordem. Caso eles persistam mesmo assim, subam nas tamancas e não ceda. Ter um contato da Secretaria de Turismo pode ser uma saída: a Argentina tenta combater essas situações.

#59- Por sua vez, policiais chilenos são extremamente corretos. Por isso, ande com os documentos em ordem e guardem o jeitinho brasileiro para o Brasil (e para o norte da Argentina).

#60- O vento na Patagônia e Terra do Fogo sopra muito forte. Viaje com muita atenção.

#61- Algumas estradas, principalmente nos Andes, ficam fechadas durante o inverno. Informe-se!

#62- Regiões desérticas como o Atacama costumam ter temperaturas altas durante o dia e muito baixas durante a noite. Durante o dia é importante estar hidratado e usar roupas air flow.

Boas práticas

#63- Cuidado com óleo na pista.

#64- Evitar acostamentos, quando em movimento, bem como parar em acostamentos. Porém se precisar parar, deixar moto longe da pista.

#65- Ultrapassagens devem ser feitas com segurança e de uma vez.

#66- Reduzir e diminuir marchas antes das curvas.

#67- Não acelerar nem frear nas curvas.

#68- Olhar para a saída da curva.

#69- Sempre olhar distante e para onde você quer ir (principalmente em estradas de chão).

#70- Pisar na pedaleira com a ponta do pé.

#71- Uma parada para abastecer apenas e outra com descanso ou lanche.

#72- Se a moto estiver muito suja, lave.

#73- Leve extensores, Silver Tape ou tire up apenas para uma eventual necessidade.

PÓS-VIAGEM

Envie sua história com as fotos da viagem, contando sua experiência. Teremos o maior prazer em publicá-la.