Assim que os meninos da Dafra entregaram a Horizon 250 para testes fiquei impressionada. O design da moto é muito imponente.

Todos aqui na redação elogiaram e foram unânimes: a Horizon chama a atenção por onde passa!

Primeiras Impressões da Horizon

Meu primeiro pensamento ao olhar para o tamanho do tanque foi: como vou levar essa moto no corredor?!

O escapamento cromado, de fábrica, é o principal diferencial no design da moto. A mini custom não precisaria ter escapamento duplo, pois tem motor monocilíndrico, mas a Dafra optou por essa configuração para dar um ar mais robusto, e funcionou!

O modelo conta com painel estilo “caneco”, tradicional nas customs, posicionado à frente do guidão, marcador de combustível integrado ao tanque (lembrando um pouco a Drag Star e Boulevard), assento único em dois níveis, lanterna traseira em LED, rodas de liga leve aro 18″.

Logo na primeira acelerada com a moto já fiquei surpresa com seu torque, já na primeira marcha é possível chegar a cerca de 60km/h.

Embora tenha um motor de apenas 250 cm³, quatro tempos, ela é uma moto “arisquinha”, alcança potência de 23,1 cv a 8.000 rpm e torque máximo de 21,7 N.m a 7.000 rpm. Uma fera a ser domada.

Pilotagem na cidade

Com porte avantajado pra uma 250 cc, baixa e macia, na cidade se mostrou muito estável, permitindo ajuste na suspensão traseira, que garante maior conforto na pilotagem pelas ruas “perfeitas” (só que não) de São Paulo.

Inicialmente achei que seria mais difícil pilotá-la no corredor porém, mesmo tendo 79cm de largura e pesando 163kg, se mostrou muito leve e consegui levá-la tranquilamente nas ruas congestionadas de São Paulo. De maneira geral posso dizer que eu andei cerca de 70% do tempo de pilotagem no corredor.

No dia 20 de dezembro tive a oportunidade de participar do passeio de natal organizado pelas Ladies of The Road, que saiu do Pacaembu em direção à galeria dos pães, nos Jardins, passando pelas ruas do centro de São Paulo, Avenida Paulista e Parque do Ibirapuera.

A Horizon foi muito bem, mesmo com o anda e para do passeio ela não esquentou muito, graças ao arrefecimento líquido, que garantiu o resfriamento da moto mesmo quando parada. Os freios a disco nas duas rodas (duplo na dianteira) foram precisos e me deram muita segurança não só no passeio, no qual as motos andavam muito próximas, quanto no trânsito, onde precisei fazer algumas frenagens bruscas.

Embora a moto tenha o estilo “estradeira” ela foi muito bem na cidade, minha nota 6, entre 1 a 10.

Pilotagem na estrada

Já no terceiro dia com a moto desci para Ilhabela, Litoral Norte de São Paulo. Uma viagem de aproximadamente 198km pelas estradas Ayrton Senna e Tamoios. O tempo total de viagem foi de cerca de 3 horas. Já havia feito o mesmo percurso na Bros 150 e senti claramente a diferença de viajar com uma moto “estradeira”.

A pedaleira avançada, o posicionamento do guidão e a altura do banco são confortáveis e não me cansaram durante a viagem. Como a moto não tinha baú coloquei alforjes e prendi a mochila no assento traseiro. A dica para que o alforje não encoste no escapamento é levantar o apoio de pé traseiro, assim não há perigo do couro queimar com o calor do escapamento.

A Horizon tem 5 marchas e quando acelerada ela responde bem, já na primeira marcha a moto “sai voando”, dando segurança nas ultrapassagens. Aliás se não tomar cuidado você pode acabar ultrapassando o limite de velocidade.

Embora na cidade ela tenha se mostrado estável, a 120km/h senti um pouco de vibração e instabilidade. Aliás, se acelerar, a moto passa dos 120km/h.

Quem conhece a Rodovia dos Tamoios sabe que na descida da serra há muitas curvas. A estrada foi reformada e está bem sinalizada e me deu bastante segurança para trafegá-la. De maneira geral a mini custom foi bem nas curvas. A distância de 14,5cm do solo me permitiu deitar a moto sem que raspasse as pedaleiras.

Me senti muito confortável na estrada e a moto foi muito bem, minha nota é 7.


Impressões gerais

Em primeiro lugar a Horizon é linda, seu design de linhas arredondadas e os vários detalhes cromados, chamavam a atenção onde passava. Dava orgulho andar nas ruas. A moto é econômica, faz cerca de 31km/l e um tanque de 17,5 litros, que dá autonomia de mais de 500 quilômetros na estrada.

É fácil de pilotar, principalmente para as meninas que não tem muita força nos braços, o peso total dela de 163,4kg. Só como referência a Mirage 250 tem 169Kg e a Shadow 750 229kg.

Eu realmente fiquei satisfeita com a moto, com ela é possível fazer o estilo “custom” sem pagar tanto. Por isso, se você quer ingressar nesse estilo mas não tem condições, ou experiência, para pilotar motos mais caras e potentes, a Horizon 250 pode ser uma opção.

A mini custom está disponível nas cores preta e branca com preto e tem preço sugerido de R$14.990, um preço um pouco alto, embora o preço esteja em linha com sua concorrente direta, a Mirage 250.