Se você ama esportividade e busca uma motocicleta para utilizar no dia a dia, com certeza a Kawasaki Ninja 650 pode ser uma ótima opção de compra.

“Vestida” de uma carenagem imponente, a Ninja 650 chama a atenção por onde passa. Concordo que a combinação mulher e moto sempre chama a atenção, mas a “ninjona” tem seu brilho próprio, até estacionada as pessoas paravam para olhar.

Ninja-650-frente

Nova bolha deixa o visual ainda mais agressivo

O modelo testado foi a Ninja 650 ABS 2016 e conta com visual repaginado, mas ainda mantendo o estilo “agressivo”, realçado pelas linhas desenvolvidas em túnel de vento, complementado por um novo parabrisa ajustável.

O novo conceito de carenagem valoriza o chassi ao invés de tentar escondê-lo, por exemplo, o design do chassi, da suspensão traseira e da balança foram concebidos para formar uma linha integrada que vai do cubo da roda traseira até o conjunto do farol. Os tubos ovalados na balança traseira e no estabilizador dão um visual diferenciado e permitem ainda ótimas ideias de customização de cores (use sua imaginação!).

Quando postei foto da lateral da moto no Instagram muitos acharam que era da naked Er6-n. De fato, elas são irmãs, com mesmo chassi e motor, só mudando a carenagem esportiva da Ninja 650. Todo mundo se surpreendeu com o novo design da esportiva.

ninja650face

Se visualmente ela já agrada, melhor ainda é a posição de pilotagem. O posicionamento e a altura do guidão são muito confortáveis. Não senti dificuldade alguma em andar com ela pelos corredores de São Paulo. A motocicleta tem bom torque e respondeu rapidamente aos meus comandos.

O guidão é emborrachado e, segundo a Kawasaki, isso faz com que as vibrações transmitidas aos punhos e aos espelhos sejam reduzidas. As pedaleiras do piloto e do passageiro também são confeccionadas com este material com o mesmo objetivo de diminuir a vibração.

Os 208kg bem distribuídos deixam a pilotagem leve, mesmo para estacionar a moto não tive dificuldades.

Ninja-650-Amizade

Moto e amizade <3

Ninja 650 na rua

Bela e imponente

A altura não foi um problema para mim, afinal tenho 1,77cm e raramente tenho dificuldade com motos altas. Mas no caso da Ninja 650, acredito que a altura não seja problema para as motociclistas mais baixas, já que a distância, do assento ao chão, é de 79cm, quase igual à da “ninjinha”300, que é 78,9cm.

Tive a oportunidade de pilotar na estrada e confesso que gostei mais de andar na estrada do que no corredor. Ao andar em alta rotação senti a moto mais estável e a pilotagem foi mais “gostosa”. O parabrisa, que além de deixar a motocicleta com visual mais esportivo, também protege o piloto do vento especialmente em altas velocidades, agora possui regulagem de altura, podendo se ajustar aos diversos tipos de pilotos e condições de pilotagem.

A Kawasaki Ninja 650 vem equipada com Discos dianteiros duplos de 300 mm e traseiros de 220 mm, ambos em formato margarida. O modelo testado foi com sistema de frenagem ABS, muito eficaz no trânsito “louco” São Paulo e principalmente na chuva. Sim, andei com ela na chuva, nada charmoso de esportiva e capa de chuva, mas enfim, faz parte. rs

O painel, inspirado no conceito das principais categorias de motovelocidade, é muito bonito e de fácil visualização. Ele vem com indicador de consumo de combustível, velocímetro digital, relógio, odômetro e tacômetro digital com barras indicadoras. Além disso é possível ver na tela a palavra “Eco” – de economia – , que aparece em uma tocada suave, indicando baixo consumo de combustível.

Ninja-650-e-ninja-250

Ninjinha e Ninjona lado a lado. Detalhe do lacinho verde na Ninja 650, comprei no site www.motomulher.com.br

Ninja-650-lateral

Detalhe da Ninja 650

Ninja-650-farol

Gostei muito da moto e acredito que mulher é capaz e merece pilotar moto grande sim! Acho legal começar com uma moto pequena, como a Ninja 300, mas se você tem dinheiro e busca mais potência e robustez com certeza vale muito a pena fazer um test ride na Ninja 650.

Se pudesse descrever a Ninja 650 em uma palavra, eu diria versátil.

ninja 650 cidade

Não resisti e fiz um mini ensaio com essa máquina, confira abaixo: