Algumas meninas sonham com uma grandiosa festa de debutante, onde se vestem como princesas, dançam a valsa com o príncipe encantado, trocam de sapato, de vestido e aquelas tradições todas. Já Ana Beatriz, ao invés de ficar muito tempo planejando uma festa de 15 anos, ela ficou meses enviando mensagens ao pai para tentar convencê-lo a deixá-la andar de moto, trocar a valsa pelo ronco do motor, o sapato pela bota e a coroa pelo capacete. “Pedi muitas vezes ao meu pai para me ensinar a andar de moto, mas ele nunca aceitou. Então a solução que eu encontrei foi enviar mensagens diariamente contando a trajetória de vários pilotos, como eles começaram, com quantos anos, quais os campeonatos, as conquistas… E sempre finalizava com frases do Ayrton Senna. Até que um dia ele aceitou, mas eu ainda tinha um problema: a moto”, conta Ana que após convencê-lo a deixá-la pilotar, ainda precisaria arrumar uma moto.

“Consegui uma CRF 250 emprestada com um amigo do meu pai para aprender a trocar as marchas. Na terceira vez em cima da moto eu já estava em uma pista de motocross”, continua Ana narrando a sua história que não parou por ai, pois ela tinha um objetivo ainda maior que era convencer o pai a deixa-la competir na categoria de base do SuperBike, a Honda Junior Cup. “Eu já estava juntando dinheiro há dois anos e obtive sucesso! Ele deixou eu participar. Isso foi no ano passado (2016), eu estava com 14 anos e participei da 5ª etapa do SuperBike com o numeral 35, que é a data do meu aniversário (03/05)”.

Foto Divulgação/Arquivo Pessoal

Naquela etapa foi o sexto contato que a Ana teve pilotando uma moto, e mesmo sem treinos e qualquer preparo, com uma moto com ciclística diferente da que estava acostumada, ela entrou na pista para alinhar junto a 17 participantes. Tendo classificado nos treinos na 14ª posição, já na largada Ana ultrapassou três de seus adversários, porém em uma curva, na briga pela 9ª posição, ela acabou caindo, levantou a moto e voltou para tentar disputar até o final da corrida, mas como o câmbio da motocicleta travou ela teve que abandonar a prova.

Foto Divulgação

Mesmo não tendo conseguido ir até o final da corrida, a piloto classificou a experiência como “maravilhosa” e etapa após etapa vem buscando a evolução e diz que a partir daquela corrida não teve dúvidas sobre o que iria pedir para o pai de presente de 15 anos.

Na primeira etapa do SuperBike que foi realizada em Interlagos no dia 23 de abril, Ana largou na 9ª posição do grid e chegou na 12ª colocação no dia da corrida. “Na hora da minha corrida estava chovendo e não tenho muita experiência na chuva. Fiz uma boa largada e ganhei umas 3 posições, mas o meu objetivo maior era concluir a prova, pois isso procurei ter muita cautela para evitar uma queda. Perdi algumas posições, mas estou feliz por ter chegado ao final da prova em segurança. Estou treinando bastante e pretendo dar o meu melhor na próxima etapa”. Finaliza Ana que no dia 28 de maio estará mais uma vez alinhando na Categoria Honda Junior Cup.

A próxima etapa do SuperBike acontecerá no dia 28 de maio no Autódromo de Interlagos. Confira o calendário das etapas e tudo que está rolando no Campeonato no site www.superbike.com.br.

Conheça um pouco mais das histórias e tudo que acontece com essa mulherada corajosa que encara as pistas no site e nas redes sociais do Mulheres de Moto e no instagram do @vemprapistamulheradaoficial.

Acompanhem-nos também pelas redes sociais:
Facebook: https://www.facebook.com/MarciaReisPilotoSBK
Fan Page: https://www.facebook.com/marciareis97/
Blog: http://quersabermr97.blogspot.com.br/
Instagram: @marciareis97
Sites:
http://www.mulheresdemoto.com.br/
http://sitepapocabeca.com.br/category/esporte/