Ao ler o título deste post você pode imaginar manobras radicais em cima de duas rodas. Mas não é bem isso que o título “Sem limites sobre duas rodas” quer dizer…

Por Rejane Olimpio

Minha paixão por motociclismo começou muito cedo, meu pai sempre teve motos. Lembro que eu tinha cerca de dois anos de idade quando ele chegava em casa com sua CB400 branca e guardava dentro da cozinha de casa, eu ficava ouvindo o barulhos dos estalos do motor enquanto ela esfriava e sentia o cheiro dela.

Iniciei minha vida numa garupa indo e voltando da escola, uma vespa nessa época. Quando comecei a trabalhar vieram os primeiros sinais de que chegara a hora de ter meu próprio veículo, meus ombros não suportariam tanto esforço com a utilização do transporte público por muito tempo. Com as dores aumentando procurei um médico que me disse: você deve fazer uma escolha: parar de trabalhar ou de andar, ou seja, vai ter que usar cadeira de rodas. Tive que pensar em algo, mas não tinha condições financeiras pra comprar um carro com o salário de atendente de telemarketing e a ideia da cadeira era algo que me incomodava demais, nunca me imaginei saindo de casa numa coisa daquelas porque não existe acessibilidade que me proporcionasse à liberdade que eu queria.

No ano de 2000 deu-se inicio a busca pelo veículo que resolveria meus problemas, comprei o jornal primeira mão e vi o anuncio de um triciclo feito com motor de fusca. Ao ligar descobri que o cara não só vendia como construía o triciclo de acordo com que o cliente queria, então sai da zona leste de SP rumo à cidade de Osasco procurar o homem que poderia tornar possível meu sonho de ser motociclista e acabar com meu problema de ir e vir. Com o triciclo nas mãos outra dificuldade surgiu, tirar a carteira de habilitação. Foram oito anos de batalha, uma hora era a documentação do veículo, outra hora era o despachante e outra era o exame médico, porém, eu não sossegaria enquanto não me tornasse uma motociclista completa de acordo com a lei. Finalmente em 2008 consegui a tão desejada e sonhada categoria “A”!

Em 2007 descobri uma adaptação perfeita na Honda Biz, feita por um senhor na cidade de Sertãozinho que iniciou esse projeto simplesmente porque queria ajudar um grande amigo. Hoje ele despacha pro Brasil inteiro com a intenção de dar qualidade de vida as pessoas que tem alguma limitação mas que não pode contar com a acessibilidade oferecida por nossos governantes de maneira geral.

De lá pra cá foram cinco triciclos e um automóvel, não adianta, é mesmo a minha grande paixão. No Sol, no vento, na chuva. Quando gostamos muito de algo e desejamos intensamente não existem barreiras. A deficiência nunca me impediu de realizar aquilo que está no meu coração, acho que ela serviu de combustível pra tornar possível o improvável.

rejane-olimpio-6 rejane-olimpio-5 rejane-olimpio-4 rejane-olimpio-3 rejane-olimpio-2 rejane-olimpio-1