Muitas mulheres vêm descobrindo os prazeres de pilotar uma motocicleta, algumas após anos de garupa. Como é o caso da motociclista Jana, integrante do grupo Ladies of  the Road.

Por Jana
 

Quando comecei a andar de moto, foi na garupa da Harley-Davidson do meu marido, na época em 1997. Eu amava a garupa, o conforto, até dormia, kkkk.

Masssss foi aí que conheci elas, poderosas, corajosas, mulheres com espirito aventureiro, as Ladies of the Road.

Eu imagina, nossa será que consigo? E aí comecei a participar dos eventos e ficava deslumbrada com a beleza de suas motos Harley-Davidson e de suas vestimentas, emocionante encontrar a turma de novo.

Aí, nossa Lady Sandra Beccaro me motivou e me encorajou ainda mais a pilotar, fui em frente. “Obrigada Madrinha”.

Resolvi fazer a aula de moto e logo estava eu pilotando, ganhei uma 883 do meu marido, nossa achava o máximo, mesmo dura, sem muita suspensão estava eu rodando com as Ladies, com a minha bandeirinha e cada canto que passava, ouvia: “Nossa uma mulher de moto”, “Que arraso, mulher corajosa”, e assim por diante.

Cada dia que pilotava, me sentia mais segura e mais poderosa, em quatro meses, troquei a minha Harley-Davidson 883 por uma Heritage Custom, outra máquina, em questão de conforto e velocidade, que deixava a 883 na mão.

E já faz 8 messes que estou com a Heritage, foram 13 mil km rodados em serras, montanhas, praias, com chuva, frio, calor, sol, e mesmo assim não quero parar, pois pilotar é uma sensação maravilhosa, conhecer pessoas, lugares, aventuras e reencontrar a turma.

Paixão sem fim percorre as estradas, os caminhos, a natureza e a alma desfruta da vida.

Um brinde a nós Ladies