Frequentemente recebo e-mails e mensagens de mulheres motociclistas contando seus medos em cima da motocicleta, dicas de como supera-los, bem como dicas de pilotagem. Nesses bate papos percebo que, na maioria dos casos, o problema é a INSEGURANÇA na moto.

Claro, conhecimento técnico é fundamental, mas acredito que antes até do conhecimento técnico, para pilotar uma motocicleta, é necessário confiança.

Mas por que confiança é tão importante? Acredito que com técnica e prática todos nós, independente do gênero, somos capazes de proezas incríveis em cima da moto, no entanto só vivencia isso quem se livrou da insegurança e do medo.

Mas não o medo que nos traz prudência, e que de certa forma é bom. Falo do medo que paralisa, que faz desistir. “Medo de cair”, “medo de estragar a moto”, “medo de acharem que sou burra”, “medo de fracassar”, “medo de rirem de mim”, “medo de achar que moto não é para mim”, “medo de pagar mico” e outros tantos…

Não querendo generalizar, mas geralmente as mulheres tendem a ser mais inseguras que os homens em alguns “assuntos”, e motocicleta é um deles. Afinal, crescemos ouvindo que não éramos capazes, que moto não era coisa de mulher. E todas outras tantas falácias negativistas que ficam em nosso subconsciente, e quando percebemos, estamos pilotando com medo e inseguras.

Presto atenção no que escrevi antes? Para ser um bom motociclista é necessário técnica e prática, não ter nascido com um pênis (risos).

Nós, mulheres também somos capazes, sim! Não, não é um clichê de autoajuda é uma verdade. 

Vencer nossa mente é a maior das barreiras, pois muitas vezes erramos justamente por medo de errar! E muitas vezes não pelo fato de falhar em si, e sim pela imagem que farão de nós porque erramos. Afinal, estaríamos dando razão à aqueles que sempre disseram: “você não vai conseguir”.

Vencer nossos medos não é fácil, mas eu quero compartilhar uma dica que me sempre me ajudou: assuma que você pode errar e que não há problema nenhum com isso.

Isso mesmo, parta do princípio que “se errar, já era esperado”! Principalmente em relação a expetativa de alguns homens. Eles já estão esperando nossos “erros” em cima da motocicleta. Então, se errar, não seria nenhuma “novidade”. Até porque não existe erro e sim feed back.  

Por que eu falo isso, pois quando não nos importamos mais em errar, nos permitimos viver. Não temos que provar nada pra ninguém, muito menos pra homens babacas que acham que pilotagem é questão de gênero.

Ria dos seus erros.

Não se intimide se a moto morrer no farol, se cair com a moto parada ou se ainda não se sente segura o suficiente para andar no corredor ou até pegar uma estrada. Ria mesmo, leve tudo isso na “esportiva” e você vai ver que a ansiedade vai diminuir e você vai se permitir tentar, praticar e principalmente: CONSEGUIR.

Fale dos seus medos.

Encare seus medos e inseguranças, escondê-los só piora as coisas. Fale deles de forma natural e procure uma forma de vencê-los.
Como comentei nesta matéria, me sentia insegura para fazer algumas curvas fechadas. Reconheci minha “deficiência” e procurei quem pudesse me ajudar e hoje já me sinto mais segura.

Motocicleta é prática, não deixe que o medo a impeça de praticar. Não deixe que o medo a impeça de vencer.

E para aquelas que já superaram seus medos, que tal escrever nos comentários suas estratégias para inspirar outras mulheres?

Motobeijo, 🙂