Nessa semana, os dois mitos do MotoGP assopram velinhas, O grande The Doctor, nascido em 16 de fevereiro de 1979 em Urbino Itália, que tem 9 títulos mundiais, 114 vitórias, 221 pódios, 64 pole positions e mais de 300 largadas, e isso conta apenas metade do que Valentino Rossi carrega em sua bagagem, que já bateu praticamente todos os recordes, um dos poucos que lhe falta é obter 123 vitórias para conseguir bater o detentor deste recorde (Giacomo Agostini, com 122 vitórias).

Fonte: Internet

Quem também comemora b-day essa semana, é o  seu atual rival nas pistas, Marc Márquez. Um piloto Catalão Campeão de cinco títulos em diversas modalidades de MotoGP, nascido em Servera na Espanha em 17 de Fevereiro de 1993. Marc assim como Vale também começou muito cedo, e desde pequeno já sabia o que queria ser.

Formiguinha é candidato a tornar-se numa das maiores lendas da modalidade, e não tem dúvidas de que Valentino Rossi, é o melhor da história.

”Agostini e Dohan foram grandes pilotos no passado, mas o Valentino Rossi é e deve continuar a ser o melhor de sempre.” disse em uma entrevista.

Márquez é um reflexo de Rossi. A diferença de idade entre os dois é de 14 anos, e mesmo com nove títulos na bagagem, no entanto, Márquez trouxe a dose de motivação que Valentino precisava para provar que ainda é uma galinha capaz de fazer um bom, e excelente  caldo.

Fonte: Internet

E a amizade dos dois é a prova que competição mesmo, é só dentro da pista. Marc é longe de exibir um comportamento arrogante, o Formiguinha sente prazer em competir com Rossi e aprender com ele. E vice-versa. Nas últimas temporadas, Rossi tem trabalhado mais do que nunca para se manter competitivo, e Márquez faz exatamente o mesmo. Ambos estão muito melhor agora do que há 4 anos, quando se encontraram na pista pela primeira vez em Losail.   

Mas a amizade não durou por muito tempo, as coisas tem sido diferente entre os dois, após 2015 com o polêmico incidente na Malaysia, aonde o espanhol acabou caindo em uma manobra polêmica na tentativa de ultrapassagem sobre o italiano.

O jovem prodígio da Honda, que em um passado recente, havia feito diversas referências ao heptacampeão de MotoGP, diz que mantém Rossi como ídolo, mas não tem mais respeito pelo agora rival nas pistas.

‘’Prefiro nem dizer o que ele me disse. Não foi bonito. Sempre tive muito respeito por ele.
Vai continuar sendo o meu ídolo, mas perdi todo o respeito que tinha por ele. Eu e muita gente. A forma como olho para ele mudou’’ afirmou.

Desavenças e brincadeiras à parte, ver os dois guerreando dentro das pistas, é o que todo mundo quer ver.  Então Happy Birthday aos dois atuais mitos do MotoGP, que venha a próxima temporada e que vença o melhor! (ou o mais rápido)